Exposição “Andar pelas bordas” explora o bordado como prática de cuidado e expressão feminina

Curadoria de Lilia Moritz Schwarcz reúne 53 obras de 47 artistas mulheres, de várias regiões do Brasil

Em cartaz na Arte132 Galeria, em São Paulo, a exposição “Andar pelas bordas: bordado e gênero como práticas de cuidado” explora o bordado como uma prática artística e cultural que vai além da estética e do artesanato. Com curadoria da antropóloga e historiadora Lilia Moritz Schwarcz, a mostra reúne 53 obras de 47 artistas mulheres, de várias regiões do Brasil.

A exposição traz uma ampla gama de obras, desde trabalhos figurativos e abstratos até peças que questionam estereótipos sobre o bordado. Entre as artistas participantes estão nomes como Adriana Varejão, Anna Maria Maiolino, Sonia Gomes, Leda Catunda, Rosana Paulino e Guga Szabzon.

Schwarcz afirma que a mostra pretende “desnaturalizar a associação entre trabalho feminino e a técnica, desmistificando o caráter supostamente ‘naïf’, historicamente vinculado ao ato da costura”. Para isso, a curadoria selecionou artistas de diferentes contextos, gerações, raças e regiões para mostrar a importância do bordado na história da arte brasileira.

A exposição “Andar pelas bordas” está em cartaz até 21 de outubro na Arte132 Galeria, em São Paulo.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.