×

Restauração de Obras de Arte no Metrô de São Paulo Patrocinada pela Bombril: Um Tributo à Cultura Paulistana

Restauração de Obras de Arte no Metrô de São Paulo Patrocinada pela Bombril: Um Tributo à Cultura Paulistana

Introdução

A cidade de São Paulo celebrará seu aniversário de 470 anos com uma notícia empolgante – a restauração de obras de renomados artistas brasileiros, como Renina Katz, Waldemar Zaidler, Mário Fraga e Antônio Peticov, exibidas nas estações do Metrô. O projeto de Conservação de Obras de Arte em Espaços Públicos, agora em sua quarta edição, é uma iniciativa da produtora cultural InfoArte, com patrocínio generoso da Bombril.

Renovação Artística nas Estações do Metrô

As obras de Renina Katz e Waldemar Zaidler na Estação Sé, Mário Fraga na Estação Anhangabaú e Antônio Peticov na Estação República passarão por um minucioso processo de restauro, contribuindo para a preservação do patrimônio cultural da cidade. Essa ação, marcada para o próximo dia 25 de janeiro, não apenas resgata a história da arte brasileira, mas também fortalece os laços da comunidade com seu espaço público.

Compromisso com a Preservação

Com esta edição, o projeto já totaliza 80 obras restauradas em locais icônicos, como a Praça da Sé, Avenida Paulista, Parque Ibirapuera e 14 estações do Metrô. Eduardo Lara, diretor da InfoArte, destaca a importância de preservar o patrimônio artístico, reconhecendo o papel fundamental dos artistas na construção da identidade cultural do Brasil.

Apoio da Bombril: Uma Aliança Cultural

A Bombril, referência em limpeza em lares brasileiros, orgulha-se de apoiar o projeto. Gustavo Amaral, diretor de marketing da Bombril, destaca a nobreza da iniciativa, alinhada com o compromisso da marca em promover a cultura brasileira. A empresa, presente em quase 100% dos lares do país, reconhece a importância de conservar essas obras como parte integrante de nossa história.

Obras Destacadas na Quarta Edição

Quatro obras localizadas em estações movimentadas serão beneficiadas nesta edição:

Estação Sé

  • “Sem Título,” 1978: Mural de 55 módulos de acrílica sobre concreto, medindo 33 metros, da ilustradora Renina Katz.
  • “Fiesta,” 1986: Painel de 10 metros de largura retratando uma celebração, obra do pintor Waldemar Zaidler.

Estação Anhangabaú

  • “In Vitro,” 1999-2020: Instalação do artista Mário Fraga, reunindo 42 vitrais e 18 espelhos coloridos.

Estação República

  • “Momento Antropofágico com Oswald de Andrade,” 1990: Painel de 16 metros do pintor Antonio Peticov, retratando o poeta Oswald de Andrade.

Processo de Restauro

Cada obra passará por higienização, recuperação de superfícies e cores, retirada de manchas e polimento. Até julho, cuidados específicos serão aplicados, seguidos por uma camada protetora, garantindo uma proteção duradoura e facilitando limpezas futuras.

Logística Sustentável

A conservação no Metrô de São Paulo demanda planejamento cuidadoso e uma logística eficiente, considerando as dimensões das obras e a necessidade de não prejudicar os passageiros. O descarte de resíduos seguirá práticas sustentáveis.

Sobre o Projeto

Idealizado por Eduardo Lara em 2018, o projeto já resgatou 80 obras de espaços públicos em São Paulo, com patrocínio da Bombril, apoio do ProAC e da Secretaria Estadual de Cultura e Economia Criativa. Destacam-se esculturas de artistas renomados, como Amilcar de Castro e Victor Brecheret.

Conclusão

Ao unir esforços culturais e empresariais, a restauração dessas obras não apenas preserva o passado artístico de São Paulo, mas também promove um diálogo entre a comunidade e seu rico patrimônio. Neste aniversário da cidade, celebramos não apenas os 470 anos de São Paulo, mas também a continuidade de sua história através da arte restaurada.

Publicar comentário