×

Carnaval Cristão em Palmas: Rosa de Saron Brilha na ‘Capital da Fé’

Carnaval Cristão em Palmas: Rosa de Saron Brilha na ‘Capital da Fé’

Enquanto o Brasil se entrega à folia de Momo, Palmas (TO) abraça o Carnaval com um toque totalmente cristão. A cidade, almejando ser reconhecida como a ‘Capital da Fé’, apresenta uma festividade alternativa para aqueles que não se sentem atraídos pelos tradicionais ‘bloquinhos’ ou desfiles. Neste sábado, destaca-se a participação da banda Rosa de Saron, em um evento marcado para às 23h30, no estacionamento do Estádio Nilton Santos.

Rosa de Saron: Estrela do Rock Cristão

A Rosa de Saron surge como a principal atração de rock do evento. Reconhecida tanto dentro quanto fora do meio cristão, a banda se destaca pela sua musicalidade envolvente e letras que tocam a alma, mantendo-se ativa após mais de 35 anos de trajetória.

Com Bruno nos vocais, Rogério no baixo, Eduardo na guitarra e Grevão na bateria, o grupo celebra a oportunidade de compartilhar sua mensagem mesmo durante o Carnaval: “É gratificante ver o espaço dado pelo Carnaval a todos os artistas, inclusive os do meio católico/evangélico. Sentimo-nos honrados em participar deste evento”, compartilha Grevão.

Palmas: Rumo à ‘Capital da Fé’

Eduardo compartilha um pouco da história do festival em Palmas: “Entendemos que ‘Capital da Fé’ não é apenas o título de um evento, mas sim um chamado para um propósito, é uma profecia. Palmas está buscando este título e, dentro da nossa missão, pretendemos contribuir significativamente”.

A banda promete um espetáculo especial para a noite deste sábado, com um repertório repleto dos maiores sucessos da Rosa de Saron, incluindo canções como “A Rosa e o Espinho”, “Mire as Estrelas” e “Do Alto da Pedra”, presentes no DVD de 35 anos da banda, intitulado “In Concert”.

Line Up de Prestígio

A ‘Capital da Fé’ oferecerá shows desde esta sexta-feira, dia 09, até a terça-feira de Carnaval, dia 13, contando com nomes de peso em sua programação, como Sarah Beatriz, Cassiane, Isadora Pompeo, Aline Barros e Anderson Freire.

Publicar comentário