Alceu Valença e Orquestra Ouro Preto apresentam “Valencianas” em João Pessoa

Alceu Valença e Orquestra Ouro Preto apresentam “Valencianas” em João Pessoa

Parceria sucesso de público e crítica no Brasil e no exterior, terá única apresentação no Teatro Pedra do Reino, no dia 17 de agosto, às 21h

A bem-sucedida parceria entre a Orquestra Ouro Preto, o cantor e compositor Alceu Valença e o diretor de cena Paulo Rogério Lage, que deu origem a “Valencianas II”, agora poderá ser vista ao vivo pelo público de João Pessoa. O concerto, que traz novas músicas, arranjos surpreendentes e sucessos do artista pernambucano, terá única apresentação no Teatro Pedra do Reino, no dia 17 de agosto, às 21h.

O segundo capítulo do projeto teve seu início com a gravação do álbum em 2020, na Casa da Música, em Portugal e, na sequência, a turnê tão esperada por todos teve que ser interrompida com a chagada da Covid 19. Passados três anos do registro ao vivo, na cidade do Porto, e após duas apresentações em 2022, que reuniram aproximadamente 100 mil pessoas nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, o projeto saiu em turnê em 2023 por diversas cidades brasileiras, sempre recebido com plateias lotadas e ingressos esgotados, desembarcando agora em João Pessoa. 

A segunda edição de “Valencianas” apresenta novas obras no repertório e surpreende os fãs da poesia de Alceu, com ainda mais beleza e sonoridades musicais. Outras facetas desse múltiplo artista são evidenciadas, sempre permeadas por grandes clássicos da música popular brasileira com sua assinatura.

O concerto apresenta canções que evocam a versatilidade do cantautor, num roteiro que vai da bossa ao fado, passeando com alegria pela história do artista, embaladas pela excelência e versatilidade da formação mineira. No repertório novo, os inúmeros sucessos que ficaram de fora do primeiro espetáculo deixaram margem para que fosse árdua a tarefa de selecionar as canções que fariam parte desta segunda edição. Entre elas, “Como Dois Animais”, “Dia Branco”, “Solidão” “Tesoura do Desejo”, “Taxi Lunar” e “Pelas Ruas que Andei”. Escolhidas a dedo por Alceu, essas obras se juntam a clássicos como “La Belle de Jour”, “Anunciação”, “Tropicana”, e prometem emocionar o público, em arranjos especialmente confeccionados por Mateus Freire, que também propõe uma nova Suíte Orquestral para abertura do concerto.

O Maestro Rodrigo Toffolo lembra que esse encontro especial entre a música de concerto e a música popular brasileira surpreendeu não só o público, mas até os próprios produtores que viram, desde o início do projeto, teatros sempre com ingressos esgotados e plateias encantadas com a performance dos parceiros. O mesmo vem se repetindo na trajetória de “Valencianas II”, que associa os ritmos do sertão e o folk da guitarra elétrica de Alceu à música de concerto impregnada de versatilidade da Orquestra Ouro Preto.

“Valencianas II” já nasceu com grande adesão do público, que lotou a estreia do projeto em 2019, ainda antes da gravação do disco, sendo acompanhado por mais de 35 mil pessoas em Recife, mais de 50 mil no Parque Ibirapuera, em São Paulo, além de duas sessões em Belo Horizonte com ingressos esgotados em poucos minutos de venda. O sucesso prosseguiu com o show de lançamento do disco, com um concerto gratuito na praia de Copacabana, no Rio, em agosto de 2022, assim como a apresentação do espetáculo na capital paulista, no Espaço Unimed, totalizando aproximadamente 100 mil pessoas nas duas cidades.

Com a turnê em 2023 não tem sido diferente: casas lotadas e público animado em Brasília, Salvador, Trancoso e Belo Horizonte. Soma-se a isso o alcance nos meios digitais, com números significativos de acessos nas plataformas e canais de streaming.  

A produção tem direção de palco e cenografia de Paulo Rogério Lage, também produtor e idealizador do projeto.

Histórico

Valencianas, a primeira edição do espetáculo, foi concebida em 2010, para celebrar os 40 anos de carreira de Alceu Valença, fruto do encontro com Paulo Rogério Lage, que há tempos planejava proporcionar contornos orquestrais à sua obra, juntamente com o maestro da Orquestra Ouro Preto e o homenageado.

Até então, o trabalho do cantor e compositor pernambucano, não havia recebido tal tratamento, o que representou uma experiência inédita na carreira de Alceu. O sucesso da parceria foi absoluto, levando milhares de pessoas a teatros e praças no Brasil e em Portugal.

Com a gravação do CD e DVD Valencianas: Alceu Valença e Orquestra Ouro Preto, em 2014, o trabalho, elogiado pela crítica e festejado pelo público, ganhou o Prêmio da Música Brasileira, em 2015, como melhor disco de MPB, categoria de maior prestígio da tradicional premiação. Já nas mídias sociais e em aplicativos de streaming, o sucesso da parceria alcançou números inimagináveis, tanto para artistas da MPB, quanto para Orquestras.

A Orquestra

Uma das mais prestigiadas formações orquestrais do país, a Orquestra Ouro Preto tem como diretor artístico e regente titular o Maestro Rodrigo Toffolo. Premiado nacionalmente, o grupo jovem vem se apresentando nas principais salas de concerto do Brasil e do mundo. A orquestra foi criada em 2000 e seu trabalho é marcado pelo experimentalismo e ineditismo.

A essência da Orquestra Ouro Preto está em tornar a música de concerto acessível e interessante ao público, tirando a música erudita das salas de concerto e levando até o público em um exercício de popularização do estilo. Por isso, maestro e músicos estão sempre atentos ao exercício de desmistificar o estilo, tornando-o atraente aos ouvidos de todos.

A fórmula escolhida pela Orquestra Ouro Preto para isso é a junção entre a excelência e a versatilidade, a mistura entre o clássico e os estilos mais populares, fazendo um encontro milenar da música clássica com o rock, a MPB e até o hip hop, linguagens amplamente difundidas e repletas de contemporaneidade. Parte daí a especial atenção do grupo à efervescência cultural da américa Latina, com foco na música brasileira de concerto e nas demais manifestações musicais de países vizinhos, assim como à pesquisa e difusão do repertório vinculado à Escola Mineira de Compositores do Séc. XVII

Maestro Rodrigo Toffolo

Rodrigo Toffolo é diretor artístico da Orquestra Ouro Preto desde sua fundação, em 2000, e assumiu a regência titular do grupo em 2007, após formação junto ao Maestro Ernani Aguiar, um dos maiores compositores e pesquisadores brasileiros em atividade. Doutorando em Ciências Musicais pela Universidade Nova de Lisboa (Portugal) e Mestre em Musicologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rodrigo Toffolo imprime na Orquestra uma visão ampliada de gestão e musicalidade, que ele gosta de conceituar como “excelência e versatilidade”.

SERVIÇO

Alceu Valença e Orquestra Ouro Preto: “Valencianas”

Data: 17 de agosto de 2023, quinta-feira

Horário: 21h

Local: Teatro Pedra do Reino (Rodovia PB-008, KM 5)

Ingressos: www.sympla.com.br

marramaqueadmin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *