Ultimato do Bacon lança sua nova HQ em parceria com a editora Trem FantasmaCrônicas da Província

Ultimato do Bacon lança sua nova HQ em parceria com a editora Trem Fantasma: Crônicas da Província

Editora de histórias em quadrinhos inicia campanha de lançamento de sua nova HQ na plataforma Catarse

A editora Ultimato do Bacon, especializada em histórias em quadrinhos, se juntou à editora Trem Fantasma em campanha de republicação da obra “Crônicas da Província”, sucesso de 1998.

A HQ conta a história durante a República Velha, expondo as feridas alcançadas pelo chicote dos poderosos, época marcada pela moral elitista e espingarda de coronéis e jagunços. “No Brasil interior, onde as terras e as vidas pertencem aos mais fortes, uma vingança se molda como os ventos de um redemoinho”, explica Alexandre Baptista, da Ultimato do Bacon.

A obra será publicada pela primeira vez em sua integralidade e, além de 16 páginas inéditas, terá extras como sketchs, contextualização histórica e prefácio do jornalista e quadrinista Gilberto Maringoni.

A edição contará com formato 20 x 28 cm, 56 páginas de miolo coloridas e capa cartão, está mais bonita do que nunca, em uma edição inteiramente nova. Com idealização, textos, cores e roteiro do premiado Wander Antunes (Zózimo BarbosaToute la poussière du cheminContos de Honra e Sangue) e desenhos de um dos maiores artistas brasileiros de todos os tempos, Mozart Couto (RamtharZamorBrakanStar Wars).

A campanha está ativa na plataforma Catarse.

Sobre a editora

A Ultimato do Bacon Editora foi idealizada em 2020, tendo sua inauguração oficial em 18 de janeiro de 2021. Na editora não é raro que os colunistas e colaboradores expressem a necessidade que todos sentem da valorização da produção nacional e no maior acesso aos materiais publicados como um todo.

Pensando nesse cenário e partindo da ideia de que quando se pretende ou quer algo o melhor é suprir essa necessidade por si mesmo, o grupo Ultimato do Bacon começou a imaginar como poderia participar mais efetivamente do mercado editorial, chegando à conclusão de que uma editora seria o melhor caminho para impulsionar e fomentar, nos próprios moldes, a produção nacional.

marramaqueadmin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *